Manifesto

Direito à cura para todos

Acreditamos que a saúde é um direito fundamental de todos e de cada um.

Portanto, queremos reafirmar o direito universal à cura e o reconhecimento da dignidade de cada ser humano, em todos os cantos do mundo.

Queremos que todos tenham acesso aos serviços de saúde, como uma aplicação do direito fundamental à vida, dando prioridade aos mais pobres com projetos de médio e longo prazo que vão além da resposta emergencial, a serem compartilhados com outras organizações que trabalham neste campo.

 

Vacina, um bem comum global

Nessa época de pandemia, estamos certos de que um mal comum global, o vírus Covid-19, só pode ser derrotado com um bem comum global, a vacinação, que deverá ser acessível a todos, dando prioridade aos mais vulneráveis e necessitados do planeta, independentemente da sua renda individual ou nacional. Unidos a muitas outras organizações ao redor do mundo, solicitamos que cada pessoa do planeta, de forma universal, equitativa, gratuita e rápida, tenha acesso às vacinas, resultado do trabalho da comunidade científica internacional.

Propiciamos ações proativas em favor das nações deixadas à margem das diversas formas de tratamento, estimulamos os governos a praticar o internacionalismo das vacinas, que é exatamente o oposto do nacionalismo fechado, que nunca poderá derrotar o vírus. Incentivamos o desenvolvimento da capacidade de produção de vacinas, também nos países pobres do mundo.

É urgente eliminar as atuais desigualdades de acesso entre cidadãos de países de alta renda (um vacinado em cada quatro) e países pobres ou emergentes (um vacinado em quinhentos). Somente assim será possível evitar a catástrofe de milhões de mortes nos próximos meses e o sério risco para toda a comunidade mundial do desenvolvimento de variantes resistentes às atuais vacinas.

Aquilo que nos mobiliza é o espírito de justiça em relação ao acesso universal às vacinas, através da suspensão temporária dos direitos de propriedade intelectual e da transferência de know-how e da cadeia de aprovisionamento necessária para aumentar a capacidade de produção e distribuição nos países menos desenvolvidos. A comunidade internacional deve assumir esta responsabilidade política, celebrando acordos com as empresas farmacêuticas para garantir contratos com quantidades e preços mais generosos para os países pobres.

Nossa cultura, porém, não é aquela de esperar que as soluções venham apenas de cima, mas arregaçar as mangas e assumir nossas responsabilidades. Por esta razão, entretanto, nos mobilizamos para um projeto concreto; uma campanha-símbolo em favor do diferentes populações; uma por vez.

 

Projeto em curso

A iniciativa nasce como uma concretização do caminho #DareToCare e foi discutida durante a “Semana Mundo Unido 2021” (1 a 9 de maio). É promovida pelos Jovens por um Mundo Unido e pelo Movimento Político pela Unidade, aberta a todas as pessoas de todas as idades, credos, convicções, a todas as organizações que acreditam no internacionalismo das vacinas e na saúde como bem comum global e aderem à campanha.

O projeto em curso está orientado para uma realidade social e geográfica limitada, mas quer, justamente por sua concretude, ser uma primeira resposta a uma das muitas realidades frágeis, nas quais já estamos presentes e operando, em um clima de confiança e de cooperação já existente. Estamos abertos para estender esta ação a outras partes do mundo com a mesma força e eficácia, para salvar vidas e a nossa mãe terra.